Formado no início dos anos 90 e privilegiando a voz como instrumento principal, o Equale se destaca pela originalidade na interpretação da música popular brasileira, contemplando em seu repertório músicas de novos compositores e dos consagrados Tom Jobim, João Bosco, Lenine, Gilberto Gil e Milton Nascimento.

 

Passou por importantes palcos, como CCBB Rio e São Paulo, Teatro Municipal de Niterói, Sala Funarte, além de premiado em Concursos e Festivais de música vocal no Brasil e na Espanha.

 

Em 2000 lançou o seu CD de estreia  “Equale no Expresso Gil” (Albatroz), somente com músicas de Gilberto Gil.

 

O segundo CD do grupo "Um gosto de sol" foi lançado em 2004 e homenageou a singular música mineira de Milton Nascimento, contando com participações especiais de Danilo Caymmi e do próprio Milton Nascimento, que declarou: “É o melhor CD de música vocal que eu já ouvi”.

Após uma pausa, o grupo retomou suas atividades em 2013 para dar início à pesquisa que resultou numa bela homenagem a Dorival Caymmi, lançada em CD. O álbum Na Praia de Caymmi (2017), assim como os anteriores, foi muito bem recebido pela crítica especializada e, melhor ainda, vencedor no 29ª Prêmio da Música Brasileira.

O Equale faz transparecer o âmago da obra de Dorival em 15 faixas, com delicadeza e precisão, seja pelos sofisticados arranjos como pelas emocionadas interpretações. Os arranjos interpretados pelos 17 integrantes do Equale, especialmente escritos por três deles - André Protasio, Flavio Mendes e Dalton Coelho -, são executados à cappella ou com acompanhamento instrumental de percussão (Léo Mucuri, João Bani e Carlos Cesar), violões (nas mãos dos supracitados arranjadores) e baixo acústico (Leandro Vasques) e concebidos em diversos formatos desde uníssonos, solos e duetos, até oito vozes.

O repertório magistral de Caymmi atraiu três participações muito especiais para a bolacha: Joyce Moreno nos arrebata com a sensualidade de sua "Morena do Mar", Serjão Loroza amplia a intensidade dos versos de "Retirantes" ("vida de negro é difícil, é difícil como quê") com o seu vozeirão e Danilo Caymmi representa a nobre linhagem de Dorival em "Vamos Falar de Tereza", que fez parte da trilha sonora da minissérie global "Tereza Batista", em 1992, num dueto dele com o pai. Danilo, aliás, entrou em estúdio com as mesmas flautas de bambu da época.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now